Família

26/09/2016Estudo diz que gene da obesidade tem pouco impacto sobre dieta e exercício

As pessoas portadoras de uma variante do gene FTO (o chamado gene da obesidade), que favorece o acúmulo de gordura, reagem tão bem à dieta e ao exercício quanto aqueles sem ela, segundo um artigo publicado na quarta-feira.

Isto significa que as pessoas com a variante, que parece estar ligada a um maior risco de sobrepeso, não estão necessariamente condenadas a permanecer assim, de acordo com uma meta-análise publicada na revista médica "BMJ".

 

"Indivíduos portadores (da variante) respondem igualmente bem à intervençôes para a perda de peso à base de dieta, atividade física ou remédios", escreveram os autores do artigo, baseado na revisão de oito estudos envolvendo cerca de 10 mil pessoas.

Isto significa que a predisposição genética para a obesidade "pode ser pelo menos parcialmente neutralizada por meio de tais intervençôes".

Cientistas já haviam demonstrado uma associação entre uma variante do gene FTO e o excesso de gordura corporal, mas pouco se sabe sobre como esse vínculo funciona.

As contribuiçôes relativas da genética e do estilo de vida para a epidemia global de obesidade ainda são objeto de discussão.

Emagrecimento foi semelhante em dois grupos

A mais recente revisão mostrou que os participantes de programas de perda de peso que tinham a variante do FTO começaram, em média, com um quilo a mais do que aqueles sem ela.

Mas as mudanças no peso foram semelhantes em ambos os grupos, independentemente de outros fatores como etnia ou gênero, disseram os autores.

Em 2014, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 1,9 bilhão de adultos em todo o mundo estavam acima do peso. Destes, mais de 600 milhôes eram obesos.

O excesso de peso já foi associado cientificamente a doenças cardíacas, derrame e alguns tipos de câncer.

Comentando a última pesquisa, a nutricionista chefe da agência de Saúde Pública da Inglaterra, Alison Tedstone, disse que as causas da epidemia de obesidade podem ter pouco a ver com genes.

O estudo acrescenta evidências que "sugerem que fatores ambientais podem ser dominantes sobre ao menos os genes comuns ligados à obesidade".

Tais fatores podem incluir uma dieta rica em açúcar ou exercícios físicos insuficientes.

fonte:G1

Indique esta página
Poderá também gostar de:
img
Médicos dos EUA alertam que tentativas de...
img
ONU considera termos como “marido” e “esposa”...
img
Mães se unem para orar nas madrugadas e alcançam...
img
“Casamento é uma aliança diante de Deus”, diz...
img
“As pessoas precisam conhecer Jesus”, diz menina...
img
Idosa de 99 anos se recupera do coronavírus após...
img
Como as igrejas podem evitar o contágio pelo...
img
Menina de 2 anos sobrevive após ser esmagada por...
img
Ben Affleck diz que superou o alcoolismo graças à...
img
Vídeo mostra adolescentes rindo e celebrando a...
img
Sobrevivente ao aborto perdoa mãe biológica:...
img
Justin Bieber diz que hoje entende a graça e não...
img
Colégios cristãos gravam vídeos para alertar...
img
Homem condenado por abusar sexualmente de 15...
img
Família de pastor passa a adotar bebês para...
img
Diretora de escola doa rim para pai de alunos...
img
Pai é obrigado a aceitar que filha faça...
img
Policial ora por casal a caminho de velório e...
img
Mais de 3.000 crianças aguardam em fila de espera...
img
Apenas 15% dos adolescentes brasileiros se...
img
Garota que nasceu sem as mãos glorifica a Deus...
img
Campanha mundial de oração leva mais de 700...
img
Professor que pediu redação sobre sexo anal e...
img
Pornografia pode levar homens a cometerem abuso...
img
“Sinto que arruinei a minha vida”, diz jovem que...
img
Jovens cristãos são menos ansiosos do que aqueles...
img
Pai recupera guarda e pode impedir que filho de 7...
img
“Eu amo os gays o suficiente para avisá-los que...
img
“Foi a mão de Deus”, diz pai de menina que...
img
8 alimentos que mais causam...
Page 1 of 6
Mais Notícias...