Brasil

26/04/2019Decisão do STF impede psicólogos de atenderem gays que buscam reorientação sexual

Ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF). (Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)
 
Psicólogos de todo o país tiveram suspensa a autorização para prestar atendimento de reorientação sexual a pacientes que solicitassem este tipo de tratamento, segundo uma decisão da ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF).
 
O direito de tratar pacientes que buscam ajuda profissional para conflitos de orientação sexual foi rotulado como “cura gay”.
 
Os psicólogos receberam autorização para fazer esse tipo de consulta em setembro de 2017, através do juiz Waldemar Cláudio de Carvalho, da 14ª Vara Federal do Distrito Federal. Ele permitiu também que fossem promovidas pesquisas sobre assunto.
 
Atendendo a um pedido do Conselho Federal de Psicologia (CFP), Cármen Lúcia entendeu que o juiz de primeiro grau usurpou a competência do Supremo para julgar o assunto.
 
Na época, o juiz rejeitou um pedido para suspender uma resolução do CFP que proíbe a “patologização” da homossexualidade. Apesar de manter a norma, ele proibiu que o Conselho punisse psicólogos que tratassem gays considerados egodistônicos (que não aceitam sua condição homossexual). Ele considerou que qualquer punição nesse sentido seria inconstitucional.
 
O CFP recorreu então ao STF, alegando que a questão, por ser de natureza constitucional, somente poderia ser julgada pelo Supremo.
 
O Conselho alegou que, após a decisão do juiz, “o ordenamento jurídico brasileiro passou a admitir, implicitamente, que a condição existencial da homossexualidade no Brasil, ao invés de constituir elemento intrínseco e constitutivo da dignidade da pessoa, retrocedeu no tempo, a fim de considerá-la uma patologia a ser supostamente tratada e curada através dos serviços de saúde, dentre os quais, a atuação de psicólogas e psicólogos”.
 
De acordo com os três psicólogos autores da ação popular em primeira instância, a resolução do CFP impedidos os cidadãos de requererem “ao psicólogo orientação ou tratamento sobre o comportamento de sua sexualidade, uma vez que aquele profissional estaria impedido de prestar serviços”.
 
A suspensão determinada pela ministra é válida até que a questão seja discutida pelo STF.
 
COM INFORMAÇÕES DA AGÊNCIA BRASIL

Indique esta página
Poderá também gostar de:
img
Enquanto eu for presidente não haverá aborto, diz...
img
Número de recuperados do coronavírus no Brasil é...
img
Bolsonaro anuncia envio de projeto de lei contra...
img
Governo de Goiás libera funcionamento de igrejas...
img
Ministro anuncia medicamento com eficácia de 94%...
img
Senado inclui pastores em expansão do auxílio...
img
Juristas evangélicos sugerem a governantes modelo...
img
‘Pastores, preguem, as pessoas precisam’, pede...
img
Bolsonaro decreta “templos religiosos” como parte...
img
Bombeiro que morreu soterrado ao tentar salvar...
img
Idosa aprende a ler com a Bíblia e faz faculdade...
img
Governo do Rio revoga decreto que poderia...
img
Missionários iniciam igreja debaixo de árvore na...
img
Número de evangélicos deve ultrapassar católicos...
img
Brasil inaugura aliança internacional com EUA...
img
Polícia investiga estudantes por ameaça de...
img
Regina Duarte terá pastora como...
img
Juristas evangélicos poderão ter mais voz na ONU...
img
Mais de mil presos renunciam organizaçôes...
img
Bolsonaro diz que motivo para transferir...
img
Esta casa estava carente da Palavra de Deus, diz...
img
Bolsonaro diz em formatura militar que “hoje...
img
Damares confirma criação de canal para denunciar...
img
Bolsonaro vai a culto em Manaus e diz que...
img
Bolsonaro diz que irá transferir embaixada para...
img
Brasil abrirá escritório de negócios em Jerusalém...
img
Jornalista do Globo usa imagem de anjo fumando...
img
Brasil sediará evento sobre paz no Oriente Médio...
img
Justiça determina que Doria devolva apostilas...
img
“Temos uma bandeira e meia: Brasil e Israel”, diz...
Page 1 of 9
Mais Notícias...