Brasil

26/04/2019Decisão do STF impede psicólogos de atenderem gays que buscam reorientação sexual

Ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF). (Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)
 
Psicólogos de todo o país tiveram suspensa a autorização para prestar atendimento de reorientação sexual a pacientes que solicitassem este tipo de tratamento, segundo uma decisão da ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF).
 
O direito de tratar pacientes que buscam ajuda profissional para conflitos de orientação sexual foi rotulado como “cura gay”.
 
Os psicólogos receberam autorização para fazer esse tipo de consulta em setembro de 2017, através do juiz Waldemar Cláudio de Carvalho, da 14ª Vara Federal do Distrito Federal. Ele permitiu também que fossem promovidas pesquisas sobre assunto.
 
Atendendo a um pedido do Conselho Federal de Psicologia (CFP), Cármen Lúcia entendeu que o juiz de primeiro grau usurpou a competência do Supremo para julgar o assunto.
 
Na época, o juiz rejeitou um pedido para suspender uma resolução do CFP que proíbe a “patologização” da homossexualidade. Apesar de manter a norma, ele proibiu que o Conselho punisse psicólogos que tratassem gays considerados egodistônicos (que não aceitam sua condição homossexual). Ele considerou que qualquer punição nesse sentido seria inconstitucional.
 
O CFP recorreu então ao STF, alegando que a questão, por ser de natureza constitucional, somente poderia ser julgada pelo Supremo.
 
O Conselho alegou que, após a decisão do juiz, “o ordenamento jurídico brasileiro passou a admitir, implicitamente, que a condição existencial da homossexualidade no Brasil, ao invés de constituir elemento intrínseco e constitutivo da dignidade da pessoa, retrocedeu no tempo, a fim de considerá-la uma patologia a ser supostamente tratada e curada através dos serviços de saúde, dentre os quais, a atuação de psicólogas e psicólogos”.
 
De acordo com os três psicólogos autores da ação popular em primeira instância, a resolução do CFP impedidos os cidadãos de requererem “ao psicólogo orientação ou tratamento sobre o comportamento de sua sexualidade, uma vez que aquele profissional estaria impedido de prestar serviços”.
 
A suspensão determinada pela ministra é válida até que a questão seja discutida pelo STF.
 
COM INFORMAÇÕES DA AGÊNCIA BRASIL

Indique esta página
Poderá também gostar de:
img
Fábio Porchat diz que 'é maluquice acreditar na...
img
STF retoma julgamento sobre criminalização da...
img
Evangélicos montam acampamento em ponte e evitam...
img
Decisão do STF impede psicólogos de atenderem...
img
Confederação Israelita do Brasil irá processar...
img
Israel doa ao Brasil máquinas que produzem água...
img
Líderes evangélicos divergem sobre posse de armas...
img
Governo de Bolsonaro pode restringir venda de...
img
Witzel quer firmar acordo com Israel para treinar...
img
Brasil dá apoio histórico a Israel na ONU, sob...
img
Igrejas são convidadas a influenciar sociedade no...
img
Bolsonaro diz que ministro da Educação atende a...
img
“Quando autoridades honestas governam, o povo se...
img
“A gente fará aliança até com o Diabo” , diz...
img
Paulo Guedes não pretende taxar igrejas...
img
Bolsonaro sinaliza mudanças na Educação com apoio...
img
Exposição de arte no Rio sugere que militantes...
img
“Dialeto secreto de gays e travestis” é abordado...
img
Professora é afastada após ensinar crianças com...
img
Sérgio Moro irá comandar o Ministério da Justiça...
img
“Não sou o mais capacitado, mas Deus capacita os...
img
Jair Bolsonaro é eleito presidente do Brasil no...
img
Haddad não é claro sobre aborto e ideologia de...
img
Bolsonaro quer aproximação com Israel e romper...
img
Com apoio do Governo Federal, congresso de...
img
Novo Congresso será o mais conservador de todos...
img
Pastor sofre atentado a bala e suspeita de...
img
A ideologia do Partido dos Trabalhadores é...
img
A mídia não aceita o “fenômeno” Bolsonaro porque...
img
Haddad, Ciro e Boulos assinam compromisso com a...
Page 1 of 7
Mais Notícias...