Mundo

23/08/2019Google tem política que visa limitar alcance de organizaçôes contra o aborto

Uma vista externa da sede do Google, também conhecida como "Googleplex", em Mountain View, Califórnia, EUA. Foto tirada em 13 de abril de 2014. (Foto: Wikimedia Commons/Noah_Loverbear)
 
Uma política do Google é destinada a limitar o alcance que anúncios de centros de gravidez em crise pró-vida voltados para afastar as mulheres das clínicas de aborto, de acordo com um relatório do jornal 'The Guardian'.
 
No início deste ano, o Google anunciou que as organizaçôes de saúde que anunciam sobre o aborto no site principal dos mecanismos de pesquisa devem ter um rótulo indicando se elas realmente fornecem ou não abortos.
 
 
No entanto, Stephanie Kirchgaessner, do 'The Guardian' informou na última segunda-feira (19) que a política do Google só pareceu a funcionar quando o termo específico "aborto" foi pesquisado por um usuário.
 
Outros termos de pesquisa como "teste de gravidez livre" e "sintomas de gravidez" não incluíram um aviso, explicando se a entidade fornecia abortos.
 
"Embora a diferença possa parecer semântica, há uma preocupação de que ela leve as mulheres a confundirem um centro pró-vida de apoio a gestantes em crise com uma clínica de aborto", escreveu Kirchgaessner.
 
Em resposta ao relatório, o Google forneceu ao 'The Guardian' uma declaração defendendo sua política atual de divulgar se uma clínica anunciada realiza abortos.
 
"Essa transparência adicional é destinada a ajudar os usuários a decidir quais anúncios relacionados ao aborto são mais relevantes para eles", afirmou o Google. "Nossas políticas já proíbem falsas declaraçôes em anúncios e, se encontrarmos anúncios que violam nossas políticas, os removeremos imediatamente".
 
Em maio, o Google anunciou que clínicas e organizaçôes que exibem anúncios no Google usando palavras-chave relacionadas ao aborto nos Estados Unidos e no Reino Unido devem primeiro ser "certificadas como anunciantes que oferecem abortos ou não fornecem abortos".
 
"Se você não for certificado, não poderá veicular anúncios usando palavras-chave relacionadas à obtenção de um aborto", afirmou a empresa de tecnologia na época.
 
"As divulgaçôes serão exibidas em todos os formatos de anúncios de pesquisa e ajudarão a garantir que esses anúncios forneçam, de forma transparente, informaçôes básicas que os usuários precisam para decidir quais anúncios relacionados ao aborto são mais relevantes para eles", acrescentou a empresa em nota.
 
A mudança veio em resposta aos ativistas pró-aborto, argumentando que o Google estava fornecendo aos centros pró-vida a capacidade de anunciar como se fossem provedores de aborto.
 
Por exemplo, as deputadas democratas Carolyn B. Maloney, de Nova York, e Suzanne Bonamici, do Oregon, enviaram uma carta ao Google antes de sua decisão de implementar a política.
 
Na carta, as mulheres do Congresso exigiram que a plataforma removesse propagandas promovendo o que eles chamavam de "clínicas falsas".
 
"O Google deve estar bem ciente das práticas enganosas de publicidade desses tipos de organizaçôes", escreveram os legisladores.
 
"Sua empresa já realizou diversas açôes para remover anúncios de centros de gravidez em crise porque eles violam a política de publicidade interna do Google", acrescentou.
 
 COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN POST

Indique esta página
Poderá também gostar de:
img
Coreia do Norte faz vídeo para propagar que...
img
Evangélicos apoiam judeus na Judeia e Samaria...
img
Polícia encontra mais de 2.200 restos mortais de...
img
Cristão morre após ser torturado durante quatro...
img
Após manifestaçôes com louvor a Deus, Hong Kong...
img
Pastor de Mianmar pode ser processado por falar a...
img
‘Fomos ensinados que missionários são...
img
Google tem política que visa limitar alcance de...
img
Novo documentário expôe detalhes do destruidor...
img
Palestina proíbe atividades de grupo LGBT na...
img
Ministro do Irã teme crescimento da Igreja e...
img
Descoberta de nascentes de água no deserto de...
img
Arqueólogos descobrem provas do relato bíblico...
img
Passo mais tempo em oração do que na internet,...
img
O enorme amor de Deus preencheu o vazio do meu...
img
Lanchonete cristã fecha aos domingos e vende mais...
img
Cristãos podem ser presos por até 15 anos se...
img
China remove palavras “Bíblia, Deus e Cristo” das...
img
Jovem é espancado e expulso de família muçulmana...
img
Tropas americanas recebem plaquetas de...
img
Juíza proíbe oração e músicas religiosas em...
img
China ordena que cidades contem quantos cidadãos ...
img
Trump recebe vítimas de perseguição religiosa na...
img
Sem aviso, governo de Cuba proíbe líderes...
img
China usa currículos escolares que doutrinam...
img
Empresa anuncia testes com chip implantado no...
img
Organizaçôes missionárias novas focam mais na...
img
“A Igreja no Irã cresce mesmo sem prédios, contas...
img
Monumento em homenagem à Reforma Protestante é...
img
Jovens judeus enfrentam mais antissemitismo que...
Page 1 of 13
Mais Notícias...