Domingo, 05 Julho 2020

Mundo

01/07/2020Motivo de protestos em 2019, nova lei de segurança de Hong Kong deve punir cristãos

As pessoas fazem oração em memória do estudante universitário Alex Chow morto durante manifestaçôes em Hong Kong. (Foto: Anthony Kwan/Getty Images)
 
Motivo de uma série de protestos em Hong Kong durante o ano de 2019, a lei de segurança nacional proposta pelo território autônomo deixou os cristãos de Hong Kong preocupados com a potencial perda de liberdade.
 
A luta é pela democracia, sistema político inexistente na China, governada por regime comunista (Partido Comunista Chinês – PCC).
 
Durante os protestos, que tiveram adesôes de grupos cristãos, mais de 40 líderes ligados a igrejas, seminários e organizaçôes religiosas receberam mensagens ameaçadoras de fontes anônimas.
 
Embora o projeto oficial das leis ainda não tenha sido oficialmente divulgado, a polêmica legislação que foi submetida na quinta-feira para deliberação abrange quatro categorias de crimes: sucessão, subversão do poder do estado, atividades terroristas locais e colaboração com forças estrangeiras ou externas para pôr em perigo segurança nacional.
 
Segundo essas leis, centenas de líderes cristãos de Hong Kong que apoiaram o movimento democrático de Hong Kong podem ser extraditados para a China continental para serem julgados, já que Pequim os considera ameaças ao regime.
 
Outras organizaçôes cristãs que se manifestaram ativamente contra o governo de Hong Kong podem enfrentar o mesmo destino, já que Pequim disse que considera os protestos em massa iniciados em junho passado como atos terroristas e qualquer apelo ŕ independência de Hong Kong da China atos de sedição.
 
Pedidos ignorados
 
Grupos cristãos locais, incluindo os cristãos da Sociedade de Hong Kong, a Hong Kong Christian Fellowship of Social Concern e a Comissão de Paz e Justiça da Diocese de Hong Kong, estão entre as 86 organizaçôes de direitos humanos e justiça social que escreveram uma carta aberta em 16 de junho a Li Zhanshu, presidente do Comitê Permanente do NPC, exigindo que a lei não fosse aprovada.
 
O notório sistema jurídico da China e sua falta de transparência podem facilmente criminalizar alguém e colocá-lo na cadeia.
 
Muitos pastores e cristãos chineses, como o pastor Wang Yi, o ancião Qin Derfu, o pastor John Cao, agora estão presos por acusaçôes falsas, como “subversão do poder do estado”, “passagem ilegal de fronteira” e “operação comercial ilegal. "
 
Muitos temem que a aprovação desta legislação fará com que Hong Kong perca para sempre o status de “Um país, dois sistemas”, transformando-se simplesmente em uma cidade costeira comum na China.
 
O ativista cristão Joshua Wong, um dos fundadores do grupo pró-democracia Demosisto, disse que com essa legislação "ninguém poderia ter certeza [do que acontecerá] amanhã".
 
O Comitê Permanente do Congresso Nacional do Povo, o órgão legislativo da China, ainda está finalizando os detalhes da lei.
 
COM INFORMAÇÕES DA ICC

Indique esta página

FACEBOOK



Provérbios 16:9
"O coração do homem planeja o seu caminho, mas o SENHOR lhe dirige os passos."

Newsletter

Assine a nossa newsletter. Não perca nenhuma notícia ou história.

Nós não fazemos spam!

Search